Agora que chegou aqui não tem mais volta, meu amigo.

Então leia e aproveite o que minha loucura criatividade tem para oferecer.

terça-feira, 4 de julho de 2017

Garçom, uma dose de respeito, por favor!

Tenho pensado em largar as redes sociais. Voltar a ser mais roots, quando minha comunicação com as pessoas era essencialmente email e SMS. Aliás, ainda me comunico só por email com muita gente, mas não é o caso.

Bem, entre devaneios, estou de saco cheio das coisas que tenho lido. Muito radicalismo, muita discussão desnecessária, muito desrespeito. Não tem nada que eu abomine mais do que o desrespeito. Nem mesmo o atraso dos correios com compras online.

Eu entendo que isso se deve a muitos fatores. O atual contexto político e social do país é uma bagunça completa e os avanços da tecnologia, ao mesmo tempo que abriram portas permitiram que todo mundo descarregue sua metralhadora de opiniões. Isso até seria ótimo, não fosse o desrespeito com opiniões diferentes. As pessoas clamam por liberdade, desde que os outros não tenham a liberdade de contrariá-las ou pensarem diferente.

Sabe, não me importa o teu sexo, cor, orientação sexual ou posicionamento político. Eu não ligo a mínima pro que você pensa, fala ou faz, desde que não me prejudique de alguma forma, tenha toda a liberdade que quiser em sua vida. Sério. Não sou daqueles "seja gay, só não perto de mim". Sou daqueles "seja gay, onde quiser, foda-se tua vida, tu não é meu namorado".

Só que me sinto julgado por cada palavra, pessoas que pensam por si acabam sendo abominadas pelas massas. Tenho opiniões mais conservadoras (no sentido de ética e moral, não de religiosidade ou preconceito sem sentido), mas se falo algo sou automaticamente um machista/opressor/coxinha/fascista. Interessante que eu também tenho umas opiniões mais liberais, daí se falo algo viro um mortadela/petista/comunista. Gente, decidam-se.

Enfim, aqui foi só um desabafo. Fica apenas o recado: Pense, seja, faça, realize. Só respeito os outros, concordem ou não contigo.

Nenhum comentário: