Agora que chegou aqui não tem mais volta, meu amigo.

Então leia e aproveite o que minha loucura criatividade tem para oferecer.

domingo, 4 de outubro de 2009

Da água para o vinho, e do vinho para a água

Os dois estão quietos, apenas fazendo o que lhes foi mandado fazer pelo chefe.

Dr. D - Isso é muito engraçado.
Dr. E - Isso o quê?
Dr. D - Esse negócio, esse trabalho, essa rotina, esse país, esse mundo!
Dr. E - E qual é a graça disso?
Dr. D - Esse é o problema, tentar achar algo para se alegrar.
Dr. E - Bem, pra me alegrar eu olho Chaves.
Dr. D - Não é desse tipo de alegria que eu me refiro, falo daquilo que nós buscamos, que almejamos, mas nunca encontramos.
Dr. E - Ah, tipo aquela vizinha gostosa que eu não consigo levar pra sair?
Dr. D - Não, meu amigo. É aquela busca para darmos algum sentido na vida.
Dr. E - Acho que é lá pro sul.
Dr. D - Lá pro sul o quê?
Dr. E - O sentido do que tu quer achar. É a melhor casa de massagens da cidade.
Dr. D - Não, não é isso! Busco as respostas para aquelas perguntas que nunca foram solucionadas.
Dr. E - Ah, tu quer saber por quê o Super-homem usa cueca por cima da calça?
Dr. D - Não, quero saber do início de tudo.
Dr. E - No início geralmente tem os créditos com os nomes dos atores do filme.
Dr. D - Me refiro a outro início. Como o início desse país, por exemplo.
Dr. E - Acho que começou com as capitanias hereditárias, não?
Dr. D - Mas o princípio de tudo, nosso significado, nossa insignificância perante os rumos da natureza, isso que está conectado ao sistema universal que eu não compreendo.
Dr. E - Pesquisa no google.
Dr. D - Será que somos todos pré-determiandos? Mudamos da água pro vinho, mas nunca deixamos nossa consistência inicial de H2O.
Dr. E - E eu que nem posso beber vinho, me dá gastrite.
Dr. D - Tudo parece uma grande bola de lã, onde cada coisa se conecta a outra coisa.
Dr. E - Meu vô fez uma tramóia dessas nos canos lá de casa.
Dr. D - Coisas sem sentido predominam, tantos alienados por uma ordem ineficaz e desconexa.
Dr. E - Tinha um mendigo lá perto de casa que falava que nem tu.
Dr. D - Mas será que nada te importa? Nunca teve essas perguntas na mente?
Dr. E - Já, mas quando encontrei a resposta e descobri o motivo disso tudo parei de me preocupar.
Dr. D - Descobriu???
Dr. E - Sim, tudo é pelo mesmo motivo que eu tenho deixado a barba crescer.
Dr. D - E por que tu deixa a barba crescer??????
Dr. E - Porque se eu barbeio todo dia, na manhã seguinte já cresceu um pouco de novo, feia e desparelha. Mas se eu deixo ela em paz, aos poucos se ajeita e fica com uma aparência decente, escondendo as cicatrizes, espinhas e meu rosto feio.