Agora que chegou aqui não tem mais volta, meu amigo.

Então leia e aproveite o que minha loucura criatividade tem para oferecer.

sábado, 25 de outubro de 2008

O que reserva o amanhã

Nessa hora de total desgosto
Para um minuto para pensar
Vejo que só consigo o oposto
De tudo que eu deveria gostar

Tantos caminhos pra tomar
tantas pessoas pra conhecer
Mas sigo sempre a errar
E meus sonhos a esmorecer

Desgraça, solidão e decepção
São pensamentos recorrentes
Me sinto em uma prisão
E preso com fortes correntes

Vários motivos para felicidade
Aquela que por um tempo me deu amor
Aqueles que nunca mostraram falsidade
Tantas coisas para agregar valor
Tantos prazeres que pareciam verdade

Mas a mentira me envolve
E as faces são reveladas
O que era simple não se resolve
E minhas pretenções são destroçadas

Mas o mundo dá voltas
E eu vou me recuperar
Todo esses motivos para revoltas
São meras chamas a apagar

Posso me sentir sozinho e desvirtuado
E que toda a esperança é vã
Mas verei, mesmo que desgraçado
O que me reserva o amanhã

Nada há de me vencer
O que não pode me matar
Apenas vai me fortalecer
E nunca me sobrepujar


***Nota: Ao invés de colocar algo engraçado ou idiota, ponho essa poesia que fiz, e que expressa o que sinto em momentos que me sinto mal com alguma coisa. Não vou dizer o motivo dela, mas é algo que me abalou um pouco.

Um comentário:

Tainã disse...

Carak...mto balaa esse poemaa...^^